.

Após governo apresentar data para retorno do ano letivo, Trabalhadores da Educação estadual ameaçam greve

 

Com a identificação do secretário de educação, Getúlio Marques para o retorno ás aulas no dia 19 de julho, os trabalhadores e trabalhadoras da educação estadual  se manifestam para esta possibilidade e poderão entrar em greve caso sejam obrigados a retomarem as atividades presenciais sem que sejam totalmente imunizados conta a covid-19. A possibilidade de paralisação foi anunciada pela direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (SINTE/RN).

O tema foi discutido em reunião realizada na manhã de hoje, 6, com o Secretário de Educação Getúlio Marques para discutir a proposta de retorno às aulas presenciais, apresentada pelo Governo. Durante a reunião, o Secretário apontou a necessidade do retorno às aulas presenciais, uma vez que existe uma cobrança por parte do Ministério Público para que isso seja realizado o mais breve possível. A proposta apresentada pelo Governo foi de um retorno gradual, com uma semana de acolhimento aos estudantes e trabalhadores da educação, a partir do dia 19 desse mês e a retomada das atividades de forma total, no dia 26 deste mês.

Para o sindicato só é possível o retorno das atividades presenciais, quando todos os trabalhadores e trabalhadoras da educação estiverem completamente imunizados. Para o Coordenador-Geral do Sinte, professor Rômulo Arnauld, qualquer tentativa de forçar os docentes a retornar às atividades antes da imunização levará a categoria a uma greve. “Não existe meia imunização ou estamos protegidos da doença por completo ou estamos expostos. Desde o início da pandemia a categoria tem sido enfática em dizer que só retorna às salas de aula com segurança e não tem sentido agora que já estamos próximos de tomar a segunda dose nos expormos desnecessariamente. O sindicato reafirma a posição que já manifestou e que é referendar pela categoria. Certamente vamos fazer uma greve em defesa da vida. Continuaremos trabalhando de forma remota” afirmou Rômulo.

O sindicalista ainda afirmou que existe uma portaria da Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP), publicada no dia 15 de maio que regulamenta o retorno dos servidores a partir do processo total de imunização. “Isso não pode ser simplesmente descartado agora”, comentou Rômulo.





Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.