8 de março de 2021

" O fechamento das escolas deve ser sempre a última opção. Caso elas tenham que ser fechadas, devem ser as primeiras a reabrir ", destaca Ítalo Dutra, chefe de Educação do UNICEF no Brasil

 

A pandemia está em um momento crítico em muitas regiões do País. Mas não podemos esquecer que n’uma situação de emergência, milhares de crianças, adolescentes e famílias só têm a escola para contar. Por isso, é importante dizer para muitos gestores, que a  escola deve ser priorizada, devem ser mantidas abertas o maior tempo possível, tomando todas as medidas de segurança.

Então

O UNICEF foi atrás de pesquisas que têm sido desenvolvidas. O que os estudos mostram é que, se as escolas estiverem abertas seguindo os protocolos de prevenção e controle da Covid-19, elas não impactam a situação na pandemia. Para isso, é fundamental envolver a todos. Quem detalha é Ítalo Dutra, chefe de Educação do UNICEF no Brasil.

“O primeiro passo é entender a condição da pandemia nas proximidades daquela escola. É fundamental também seguir todos os protocolos de prevenção da Covid-19, como uso de máscara, higienização das mãos, distanciamento social – tanto dentro da escola, quanto fora dela. E obviamente, é imprescindível envolver professores e demais profissionais da educação, estudantes, seus familiares e a comunidade escolar como um todo, no processo de construção das condições para reabertura segura das escolas.”

O fechamento das escolas deve ser sempre a última opção. Caso elas tenham que ser fechadas, devem ser as primeiras a reabrir assim que a situação epidemiológica permitir.

Nessa volta às aulas, cada um faz a sua parte. Use máscara, lave sempre as mãos, mantenha a distância e siga as orientações da escola. 





Saiba mais em unicef.org.br.


.