18 de dezembro de 2019

Com o silêncio do MPRN, profissionais de educação de Macau questionam o não cumprimento do calendário escolar nos últimos três anos como acontecia no passado



Profissionais da rede municipal de ensino reclamam que o ano letivo de 2019 termina mais uma vez com o déficit no calendário escolar, de acordo com a informação recebida por esse blogueiro as escolas faltam de tudo; da Asg a merenda escolar. Realidade que faz com que não se cumpra os 200 dias de aulas que deveriam ser ministradas pré-determinadas pelo MEC. 

Pau que bate em chico já não bate em Francisco

O grupo de professores ainda me relataram que em 2016 o MPRN recomendou que o ano letivo terminasse com acréscimo de dias para cumprir calendário anual escolar, recomendações que não aconteceram com mesma propriedade em 2017,18 e 19 quando o ano letivo sempre terminou sem o cumprimento do calendário escolar.

Como será o início do ano letivo em 2020?

A preocupação dos profissionais é como acontecerá o início do ano letivo de 2020, já que existe um débito do município com a empresa que fornece a merenda escolar no valor de R$ 250 mil, além do débito com o transporte escolar no valor de R$ 600 mil reais. Sem falar no sucateamento das escolas municipais.

Para os professores

Ou o MPRN toma providências nesse momento ou o ano letivo de 2020 terminará capenga como os anos anteriores.

O pior

Para os profissionais de educação esse silencio do MPRN com a educação municipal de Macau só prejudica os alunos e deixa Macau no fundo do poço, uma vez que não cumprido o calendário poucos conseguem êxito para ingressar no IFRN, sem falar que o município não vem conseguindo colocar alunos nas olimpíadas de matemática nos anos que o calendário escolar não foi cumprido na integra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário