13 de março de 2021

Comitê cientifico destaca que 230 mil pessoas no RN já tiveram contato com o coronavírus

 

O Comitê Científico divulgou nesta sexta-feira, 12, resultado do Inquérito Sorológico no Rio Grande do Norte. De acordo com o estudo, 6,5% da população investigada apresentou anticorpos para a covid-19. Isso indica que quase 230 mil pessoas tiveram contato com o SARS-CoV-2 e produziram anticorpos detectáveis.

As maiores prevalências foram em Caicó (12,3%) e Pau dos Ferros (12,7%) e a menor em São José de Mipibu (5,3%). As maiores prevalências aparecem nos grupos etários acima de 45 anos e chama a atenção, contudo, a prevalência também alta no grupo de até 9 anos de idade. “Essa foi uma das surpresas da pesquisa”, aponta o pesquisador Ângelo Roncalli.

Em boa parte dos casos as diferenças não são significativas pela análise dos intervalos de confiança. Pelo menos entre a menor prevalência (4,5% entre 18 e 24 anos) e a maior (8,1% em 70 anos e mais), a diferença é significativa.

Com relação ao sexo, as prevalências são praticamente iguais. Em relação à raça/cor autorreferida, a prevalência é maior em negros (6,9%) em comparação com brancos (5,6%). A categoria “negros” foi formada pelo agrupamento dos que referiram raça/cor preta ou parda. A prevalência é maior nos que relataram contatos, tanto com suspeitos quanto com confirmados.

Outro ponto importante da pesquisa é a prevalência entre os que não adotaram o distanciamento social é significativamente maior (12,7%) em comparação com os que adotaram total ou parcialmente (7,2%). “Esse dado aponta para a importância e eficácia do distanciamento social”, afirma Roncalli.


O Comitê Científico divulgou nesta sexta-feira, 12, resultado do Inquérito Sorológico no Rio Grande - Defato.com

.