4 de março de 2021

Apos relatos com a situação educacional dos moradores da Quixabas, SM de Educação de Macau entende posição dos pais mas destaca ponto a ponto com a verdade dos fatos

 

Mães da comunidade de Quixabas relatam uma situação educacional, mas SM de educação destaca uma realidade que os macauenses devem tomar conhecimento

Após encontrar nas mídias de Macau opiniões diversas sobre a situação das escolas públicas municipais dos distritos salineiros, tive o cuidado de conversar com o secretário de educação Municipal de Macau, Luiz Gonzaga, onde o mesmo foi bastante esclarecedor sobre o tema.

Para o professor Luiz Gonzaga o que existe nesse momento são pessoas externando opiniões numa realidade que desconhecem, já que existe uma regulamentação municipal que para as escolas dos distritos funcionarem devem ter um número especifico de alunos inscritos, realidade que não acontecem nos distritos de Soledade, Canto do papagaio, Tambau, Quixabas Salinópolis e Alcanorte que funcionam de forma multisseriadas.

O secretário destacou sua preocupação, marcou novas reunião com pais da comunidade da Quixabas e deixou claro que;

 “ Esteve reunido com essas unidades que formam o centro rural de ensino Soledade, Canto do papagaio, Alcanorte, Tambaú e Quixabas, na situação de Quixabas ficou acordado um segundo momento de reunião que já está marcada com os pais para o dia 18 de março. O problema é que as pessoas fazem as especulações e distorcem as informações, mas o real problema de todas essas unidades é que nenhuma delas possui o quantitativo mínimo estipulado por uma portaria municipal para que funcionem, não existem alunos nas comunidades que atendam essa resolução. Talvez pelo problema de natalidade em cada comunidade fez com que as escolas perdessem os estudantes e, hoje, essas comunidades que estão questionando nas mídias, nenhuma delas possuem uma turma formada que seja de forma legal dentro da legislação”.

O secretário Luiz Gonzaga tem se desdobrado para que a educação funcione com qualidade para os estudantes salineiros, tanto é que observa; “ Nessas comunidades temos turmas com 7 estudantes, outras com 8 estudantes e algumas outras apenas com 9 estudantes, toda estas turmas são multisseriadas, ou seja, juntam estudantes de várias faixas etárias para formar uma turma”.

Conhecendo muito bem o ambiente educacional do município, Luiz Gonzaga garante que “ está tentando reordenar cada situação, pois temos outro fator muito importante nessas unidades é uma infraestrutura péssima, caótica que ao longo de anos não foi feito nada. Sem falar também que nenhuma escola possui RH, não tem servidores efetivos, para estas unidades funcionarem necessitaríamos de 41 servidores entre professores, serventes, asg’s, porteiros, coordenadores e diretores  ”.

O secretário de educação de Macau garante que é uma situação bastante problemática que envolve as comunidades citadas, garantindo que a SM de educação e o gestor público estão tranquilos e conscientes porque já foi realizado reuniões em todas essas comunidades mostrando todo o imbróglio desta realidade conflituosa.

 

 

 

 


.