20 de agosto de 2020

Senado rejeita manutenção do veto relativo ao congelamento de salários de servidores

 

O site congresso em foco destaca que o governo articula para que a Câmara mantenha os vetos relativos ao congelamento de salários de servidores do funcionalismo público. O veto é uma contrapartida ao auxílio de R$ 60 bilhões a estados e municípios que a União destinará durante a crise sanitária. A votação pelos deputados, que estava prevista para ocorrer ontem, foi adiada para a tarde de hoje. O novo líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), tenta reverter a decisão. São necessários 257 votos na Câmara para que o veto seja derrubado. Caso esse número não seja alcançado, o veto é mantido.

A votação no Senado contou com um placar apertado – foram 42 votos pela rejeição e 30 pela manutenção do veto. Aliados do presidente Jair Bolsonaro votaram contra a orientação, a exemplo do senador Izalci Lucas (PSDB-DF), vice líder do governo, e da senadora Soraya Thronicke (PSL-MS). Se os dois tivessem acompanhado o governo, o veto teria sido mantido, pois eram necessários 41 votos para que o dispositivo fosse derrubado.

RN

Os três senadores do RN Jean Paul Prates(PT), Styvenson Valentim(Podemos) e Zenaide Maia(Pros) votaram Não. Os senadores que votaram “sim” foram pela manutenção do veto, seguindo a posição do governo. Já os que votaram “não” apoiaram sua rejeição.


Nenhum comentário:

Postar um comentário