31 de julho de 2020

Sessão remota da CM de Macau entra pra história por tanto QUIPROQUÓ para um ato que não atrapalhará candidatura de ninguém


A semana foi cheia na terrinha sobre os temas que deveriam entrar em pauta na CM de Macau nos dias atuais, cada qual com seu ponto de vista e suas observações.

Mas

Ao encerrar votação mais esperada, fica a pergunta sobre quem ganhou e quem perdeu ao trazer à tona uma discussão que está em juízo desde de 2010.

A verbalização da sessão de ontem

No mercado modelo de Macau o assunto era um só na manhã de hoje; Zé Antonio Menezes.

Alguns entendiam o que aconteceu, outros nem tanto, mas ficou claro que a votação – aqueles que votaram contra arquivamento, se abstiveram ou votaram a favor pois sabiam exatamente o que faziam -  o comportamento de todos os envolvidos não caiu em bom tom junto ao eleitor salineiro. Pelo menos baseado na propagação de pessoas simples no mercado modelo.

Sobretudo

Quando se percebe que a política é um jogo de interesses, pois já imaginou se nessa eleição que se aproxima o médico Zé Antônio vença o pleito?

Esses mesmos vereadores que lutaram para desarquivar processo que já estava ficando caduco na justiça, se eleitos forem, vão estar todos debaixo das asas do prefeito eleito. O que fizeram ontem, desfaz amanhã sem nenhum constrangimento.

Ou alguém tem dúvidas disso?

Por isso reafirmo

O macauense mais probo - que gosta de discutir política -  no fundo, no fundo, ele entendeu muito bem o que aconteceu na noite de ontem, em sessão remota da CM de Macau.

Por fim

Ainda entendo que é necessária uma união de oposição em Macau, mas pelo andar da carruagem vai ficando mais difícil a cada dia.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário