19 de maio de 2020

Contrassenso na deliberação de sessão remota: Parte da CM de Macau se comporta na contramão da transparência pública em tempos de COVID-19


Enquanto o Ministério Público Federal (MPF) quer que Municípios e o Estado do Rio Grande do Norte prestem contas dos recursos federais enviados para o enfrentamento à Covid-19 na Plataforma Fiscaliza RN - além da prestação de contas obrigatória por lei – vereadores governistas salineiros tentam obstruir possibilidade de fiscalização ao não aceitar a realização de sessão remota na CM de Macau.

Pois é

A obstrução pode até ser legal e se encontrar no regimento - agora é imoral pelo momento que a cidade está passando – parte da CM de Macau não querer fazer a sua parte.

Tapa na cara

Esse comportamento da ala governista é um tapa na cara da população salineira, uma vez que a bancada governista dá demonstração que não quer saber de transparência aos recursos gastos com o Covid -19, quando o MPF exige esse comprometimento público.

Estranho, muito estranho...


Nenhum comentário:

Postar um comentário