21 de abril de 2020

Prefeito TLemos realizas reforma no HAF e destaca que " em razão dos poucos recursos financeiros, estamos sacrificando outros setores para concentrar esforços no setor da saúde"



Depois da última realização de serviços ocorrida em 2014 na administração Kerginaldo Pinto, onde realizou reformas e serviços de reestruturação para ampliar atendimento, além  uma moderna rede elétrica e uma subestação de energia, mais uma vez o Hospital Municipal “Antônio Ferraz” está com alguns setores sendo recuperados e a partir de agora sofrerá reformas em sua estrutura, tudo com o objetivo de atender às recomendações da ANVISA, melhorar as condições e ampliar o atendimento à população macauense e de outros municípios que buscam aquela unidade de saúde.

Para a secretária de saúde, Sâmia Morais “estamos recebendo o respaldo total do prefeito Túlio Lemos para adequar o funcionamento do Hospital Municipal às normas da ANVISA, coisa que, desde o início de suas atividades sempre foi relevado a um segundo plano e esses serviços de recuperação e adequação se fazem necessários para se evitar contaminação”. 

A reforma

Além de atender às exigências normativas, os serviços já executados no interior daquele hospital foram direcionados ao Pronto Socorro, aonde foi construído um segundo consultório, a troca de todo o piso, pintura em epox, adequação com bancada em mármore, construção de uma farmácia satélite no setor, adequações à sala vermelha (urgência) com piso em granilito e toda a área já refrigeração adequada para oferecer melhores condições aos usuários e profissionais.

Custo Mensal do HAF  1 Milhão de reais

O prefeito Túlio Lemos, que tem acompanhado de perto os trabalhos executados naquela unidade, diz que “em razão dos poucos recursos financeiros, estamos sacrificando outros setores para concentrar esforços no setor da saúde, primeiramente porque sempre foi o nosso foco e também por conta dessa pandemia do COVID-19. Portanto, estamos priorizando os investimentos na recuperação e ampliação do Hospital Municipal, cujo funcionamento tem o seu custo mensal superior a 1 milhão de reais e que conta apenas com 1/3 de recursos vindos do SUS”

A reforma do bloco cirúrgico e a a recuperação de todas as enfermarias vão começar a entrar na programação elaborada pela secretaria de saúde e acompanhamento pela direção geral do Hospital Municipal “Antônio Ferraz”, à cargo de Ludmilla Melo. Para a secretária Sâmia Morais, é necessária a reforma no Bloco Cirúrgico, “que está totalmente fora das normas da ANVISA e também faremos a conservação e adequações em todo o bloco de enfermarias”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário