19 de março de 2020

Macau: Secretária de Saúde apresenta uma realidade em programa de rádio, mas denúncia mostra cuidado e preocupação com o HAF

Aqui nossos ótimos profissionais de saúde fazendo o seu papel com  zelo a vida humana


Os cuidados com saúde pública diante da situação que o Brasil e o mundo atravessa com a chegada do COVID-19, fez com que a secretária de saúde de Macau, Sâmia, estivesse presente na manhã de hoje, no programa de Eduardo Carlos da 94FM, o propósito a priori seria para tirar dúvidas e conscientizar os macauenses sobre os cuidados com a nova doença, além de mostrar de forma positiva o ambiente que se encontra o setor de saúde do município, principalmente como se encontra o estabelecimento do Hospital Antonio Feraz(HAF).

Uma realidade apresentada que não merecia nenhum questionamento, tudo estava na perfeita ordem, segundo ponto de vista da secretária em questão.

Pois bem

Não demorou muito para que os macauenses enxergassem uma outra realidade, realidade apresentada no programa Macau em Notícias pelo vice-prefeito e presidente da CDL, Rodrigo Aladim.

Preocupação que foi contextualizada diretamente para o MPRN tomar as devidas providências, já que os nossos ótimos profissionais não podem pagar pela ausência de gestão.

Segue a denúncia:

Venho por meio desta informar aos representantes do Ministério Público da Comarca de Macau, a situação precária de se encontra o Hospital Antonio Ferraz, com a perspectiva do surgimento de casos de COVID-19, como também o aumento de pacientes infectados arboviroses (dengue, Zika vírus, febre chikungunya e febre amarela) causadas pelo Aedes aegypti.

Segundo relato de pacientes e de um funcionários efetivo do hospital, nos chega a informação preocupante sobre o referido hospital, que segundo consta encontra-se funcionando nas seguintes condições:

Ausência de álcool em gel em todos os setores;
O Raio X quebrado a mais de 60 dias, com pacientes sendo removido para outras cidades (Guamaré);
Ausência de respirador fundamental para pacientes com dificuldades respiratórias;
Estrutura física inadequada, pacientes da clínica médica juntos com os pacientes do pronto-socorro;
Alojamento dos condutores de ambulância inundado.

Vale ressaltar a urgência em medidas de contenção e prevenção uma vez que a situação de nossa saúde local e bastante precária e poderemos ter um caos generalizado na saúde pública.

Certo de que este órgão tomará as devidas providências em apurar e cobrar medidas da gestão municipal , desde já agradeço a atenção

Rodrigo Aladim
Vice Prefeito Constitucional de Macau
Presidente da CDL-Macau

Nenhum comentário:

Postar um comentário