18 de novembro de 2019

A quem o macauense deve recorrer para fazer valer o seu direito de cidadão?...



É complicado ver em 2019 as mesmas cenas que se enxergou durante todo o ano de 2017 e 2018 sem que não se tome providências com isso. Por bem menos o MP autuou prefeito em passado recente na cidade salineira quando enxergou que havia sobrepreço na coleta do lixo em Macau, naquela época não havia reclamação na limpeza urbana da cidade, nem nos distritos.

A cidade de Macau paga um valor absurdo para coleta do lixo desde 2017, se transformando em um dos maiores contratos numa coleta de lixo no nordeste brasileiro. Digo isso porque o valor pago não condiz com a limpeza oferecida a população.

Mesmo assim o MPRN fechou os olhos para toda reclamação feita pela população nesse ambiente, reclamações que existem desde 2017. O órgão de justiça que é tão competente no que faz não conseguiu da resposta ao povo salineiro nem quando o lixão ficou queimando a céu aberto por vários dias jogando fumaça tóxicas que podia muito bem causar risco a  vida humana, diferentemente do que fez o MPRN da comarca de Assu que acionou com multa e recomendações o município imediatamente.

Mas em Macau quando se trata de lixo as imagens são essas desde 2017, como demonstra vereador Claudio Gia;





Nenhum comentário:

Postar um comentário