2 de outubro de 2019

Senado rejeita mudança no abono salarial e impõe derrota ao governo na Previdência



O Site congresso em foco destaca que o Senado rejeitou a proposta do governo de endurecer as regras do abono salarial através da reforma da Previdência. É que o plenário decidiu aprovar um destaque da oposição para manter as regras atuais do abono salarial. Com isso, o benefício continuará sendo pago a quem ganha até dois salários mínimos, o que reduzirá o impacto fiscal da reforma da Previdência em R$ 76,4 bilhões nos próximos dez anos.

Com a reforma da Previdência, a ideia do governo era restringir a parcela da população que tem acesso ao abono salarial, entregando o benefício apenas aos trabalhadores que ganham até R$1.364 - valor que define a baixa renda no Brasil, segundo o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE).

A oposição, contudo, vinha refutando essa tese desde a Câmara. Os destaques sobre o abono, porém, haviam sido rejeitados tanto pelos deputados quanto pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Só no plenário do Senado, a oposição conseguiu emplacar esse destaque, em uma votação ocorrida por volta da meia-noite desta terça-feira (1º), com o quórum que garantiu a aprovação do texto-base da reforma já diminuindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

gatofelix


.