19 de setembro de 2019

Guamaré: Situação que envolve cassação do prefeito Adriano Diógenes apresenta lacunas nos autos, questionamentos sem respostas e não caracteriza ciência inequívoca da ocorrência do delito



Depois da ação lava jato o que mais se comenta no Brasil de hoje são as denúncias feitas pelo Intercept/Brasil demonstrando a ação dos atos praticados pelos procuradores da justiça brasileira para que dessem cabo da vida política do ex-presidente Lula.

A ação do Intercept está sendo reconhecida como vaza jato, já que esmiunça toda forma de se colher a denúncia com fins devidamente pré-determinados.

Pois bem

O município de Guamaré se encontra basicamente nesta situação, como demonstra o blog Guamaré em Dia AQUI.

Você pode até perguntar; o que tem de comum a vaza jato com a situação de Guamaré?... Eu digo; Tudo!

Basta observar os detalhes desta ação muito bem identificado pelo blog Guamareense.

Enfim

Nos autos existem vários questionamentos realizados sem respostas, a denúncia oferecida contra o prefeito Guamareense– como aconteceu recentemente com o ex-presidente Lula e seu irmão -  não possuí todos os elementos legais exigidos para a configuração do delito, até porque o  TSE jamais aceitou como prova gravação escondida e editada. 

Sobretudo porque se deve ter ciência inequívoca da ocorrência do delito, que confirme de fato o dolo do agente público.


Nenhum comentário:

Postar um comentário