7 de janeiro de 2019

Ipanguaçu na iminência de um colapso financeiro que poderá afetar fornecedores servidores e população em geral



As coisas em Ipanguaçu não funcionam como deveriam, fato que nos faz destacar atos, ações e demissões que ocorreram em vários setores do cenário municipal nesses dois anos da atual gestão.

Em dois anos

- Ipanguaçu está no seu 4° Secretário de Saúde;
- 3° Secretário de Planejamento e Administração;
- 3° Secretário de Cultura;
- 3° Secretário de Esporte;
- 2° Chefe de Gabinete;
- E no 2° Secretário das esferas da Agricultura, Articulação Política, Obras e Educação.

Ou seja

Em 730 dias todas as pastas da administração pública já foram ocupadas por mais de uma pessoa. Tal cenário em pouco tempo, indica um limite de exaustão envolvendo os servidores diante da crise interna, orçamentária e política no qual deixa a gestão em quadro de estagnação.

O pior


Se o cidadão Ipanguaçuense acha que já viu de tudo na atual gestão, apresento-lhes o “canjerê” dos prédios públicos que se encontram em atraso por vários meses:


- Prédio de Cicinha onde é a Secretária de Saúde: 6 meses atrasado;
-  Garagem dos ônibus, 7 meses em atraso;
-  Sede da prefeitura vizinho a igreja, 5 meses atrasados;
- prédio do conselho  5 meses em atraso;
- Ônibus da saúde, 6 meses em atraso

Sem falar nos fornecedores que o município deve e não possui condições de arcar com os compromissos, como; Funerária, fornecedor de frutas para merenda, decorações, Toinho de Libório e restaurante na capital estadual  somam dividas em torno de R$ 111. 800,00(cento e Onze mil e oitocentos reais).

Colapso

Os vereadores já se preocupam diante do iminente colapso financeiro que chegará com força ao município de Ipanguaçu afetando fornecedores, funcionários contratados, CC’s e efetivos. Na atual conjectura o município gasta o dobro do arrecada.